quinta-feira, 4 de agosto de 2011

"Atrás das janelas, retomo esse momento de mel e sangue que Deus colocou tão rápido, e com tanta delicadeza, frente aos meus olhos há tanto tempo incapazes de ver: uma possibilidade de amor. Curvo a cabeça, agradecido. E se estendo a mão, no meio da poeira de dentro de mim, posso tocar também em outra coisa. Essa pequena epifania. Com corpo e face. Que reponho devagar, traço a traço, quando estou só e tenho medo. Sorrio, então. E quase paro de sentir fome."
(em Pequenas Epifanias)

2 comentários:

  1. Amiga Luiza, adorei este post. Acompanhei a carreira literária do Caio desde o início, lá nos anos setenta. Aprecio todos os livros dele, mas o especial para mim é "Pedras de Calcutá". Pena que ele tenha ainda relativamente jovem.
    Um grande abraço. Desejo-te uma linda sexta-feira.

    ResponderExcluir
  2. Nesta vida conheci muitos amigos,mas esse blog realmente é um Sonho!Amigo não é uma definição escrita ou falada,mas é o carinho o mimo de cada um sem dar,pedir nada. Gostaria muito de ti ver no feita poesia que é um pouco de mim se gostar me segue e comenta vou ficar muito feliz e vai me dar muito animo esta dificil não conseguir interagir com quem aprendi a amar a cada dia o feita poesia vai me colocar perto de vc ...Uma linda semana iluminada fica com papai do céu ! http://soueufeitapoesia.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Mostre a sua!